F – XVII ENCONTRO ANUAL EM MARIANA – 2008

COMO FOI O ENCONTRO ANUAL DE 2008

Para alguns o Encontro Anual da AEXAM em Mariana começou na sexta-feira, dia onze de julho.
Tão logo os padres, que fizeram o Retiro do Clero, deixavam as dependências do Seminário Maior, entusiasmados aexanos, conclamados pelos e-mails do Raymundinho, já as reocupavam. Eram mais de quarenta para fazer o que ele denominou “aquecimento das baterias”.
O restaurante São Francisco, atrás da igreja do mesmo padroeiro, tradicionalmente tem sido o “point” dos primeiros abraços e tragos. E lá todos estiveram.
O que se pode observar é que essas presenças antecipadas tornam-se maiores a cada ano.
E isso é muito bom!

Sábado. O azul, com que o céu começou o dia, foi dando lugar a um amontoado de nuvens, prognosticando um dia frio de inverno. Porém ele não seria duradouro. O calor, que a chegada dos aexanos trazia, como que dissipou a temperatura baixa. Aí o sol, encorajado, voltou a brilhar despudoradamente até o final da tarde.
O hall do Seminário Maior ficou constantemente cheio do vozerio e do trança-trança dos participantes do Encontro. O reiterado compromisso com os abraços e a alegria era cumprido com satisfação por todos. Os reencontros, de uns com mais, de outros com menos tempo, vinham acompanhados de sonoras gargalhadas.
O terceiro exemplar da revista “Gens Seminarii”, com o Cônego Jadir na capa, ficou à disposição de todos que não a receberam em casa.
Àqueles que chegavam era oferecido um delicioso “brunch”, com direito a sucos, biscoitos, queijo, café e até uma deliciosa cachacinha que o Vicente Gonçalves tinha se proposto a oferecer.
Alguns aexanos trouxeram livros e missais como generosa colaboração ao Memorial Físico da Associação.
Do refeitório subiu um delicioso aroma de canjiquinha e todos para lá se dirigiram, cônscios da “difícil” tarefa de saboreá-la.
E isso foi muito bom!

Estava na programação uma visita guiada ao antigo Palácio dos Bispos, maravilhosamente transformado para abrigar o Centro Cultural Dom Frei Manoel da Cruz, que sedia hoje o Museu da Música e o Museu do Livro, ambos formados com obras raras e antigas do acervo da Arquidiocese de Mariana pelo arcebispo Dom Oscar de Oliveira. Uma significativa presença de aexanos circulou pelos seus recuperados salões. Foi-lhes dada a oportunidade de conhecerem livros e peças preservadas sob cuidados técnicos especiais. Encerrando a visita coube ao Padre Lauro, zeloso anfitrião, fazer as boas-vindas ao Encontro Anual, dadas com o carinho costumeiro.
E isso foi muito bom!

No auditório do ICHS/UFOP, aguardada com alguma ansiedade, a sessão lítero-musical começou com a auto-apresentação, identificando todos os presentes. Ainda que um pouco longa, deu a todos a oportunidade de se (re) conhecerem.
Atendendo a procedimentos legais, aprovaram-se as contas da diretoria em exercícios anteriores. Em seguida o Walter Araújo Freitas, o Waltinho, indicado pelo presidente Helvécio Trindade, elegeu-se o novo presidente da AEXAM para o biênio 2008-2010, tal como deve ser o processo democrático com a recomendável alternância.
Uma justa homenagem prestou-se aos padres ordenados em 1958 no Seminário Maior de Mariana, todos comemorando o Jubileu Sacerdotal. Apresentados no telão com suas fotos da época, eles foram reconhecidos por alguns aexanos, contemporâneos mais novos, e abraçados na pessoa do Monsenhor Raul, também “jubiloso”.
Foram também mostrados no telão e homenageados os seminaristas que, no ano de 1958, há exatos cinquenta anos, chegaram ao Seminário Menor da Boa Morte, e igualmente jubilosos.
Após uma deliciosa canjica, reiniciou-se a sessão com a palestra do Dr. Evaldo d’Assumpção, com o tema “Ganhando com as perdas”. Médico cirurgião plástico, biotanatólogo e presidente da Academia Mineira de Medicina, ao final da exposição, foi aplaudido com entusiasmo pelos presentes.
O adiantado da hora deixou para trás algumas atividades.
E isso foi muito bom!

O salão apostólico, carinhosamente preparado, ficou cheio para o jantar festivo. O cardápio, além de saladas e frutas, completava-se com um saboroso bobó de frango. Todos se fartaram e se divertiram em calorosos papos.
Amainadas as conversas, o Luiz Gonzaga Pessoa, o Pessoinha, encantou todos com suas prodigiosas arte e memória ao declamar um “pot-pourri” de poemas, cujas lavras eram de alguns aexanos – Burgareli, Idalino e ele próprio. Doados pelo Luiz “Pedrosinha” Flaviano dois uniformes completos de futebol – camisas, meias e calções – foram entregues solenemente ao Padre Lauro. O Tilden Santiago deu uma canja com o seu saxofone.
E com o som animado do “Cipó Cravo” do Dioclécio, Adir e filhos, o jantar tornou-se uma animada e tradicional quadrilha.
E isso foi muito bom!

Domingo. O sol da véspera voltou com um calorzinho bem agradável. Em frente à Catedral, enquanto esperavam o início da missa, os aexanos acompanhavam os solos das clarinetas e dos trombones que a Banda Santa Cecília de Barão de Cocais executava. A sua presença ao Encontro foi uma gentileza de seu presidente JD Vital, cocaense de quatro costados, envolvido e meio-comprometido com a AEXAM porquanto irmão do saudoso ex-colega Miguel Vital.
A Catedral da Sé de Mariana estava lotada com a presença dos participantes do Encontro – aexanos, convidados e familiares – e pessoas da comunidade local, quando Dom Geraldo Lyrio, sempre atencioso e interessado com as coisas da Associação, celebrou a já tradicional Missa Solene. E do coro vinham as vozes na “Missa De Angelis”, com todo o latim guardado na memória e no coração dos presentes. Acompanhava-as o maravilhoso som do órgão, sob as mãos primorosas da Maria Noêmia.
Sem dúvida, foi um momento de encantamento e delicioso recordar. Na saída abraços compartilhados e fotos de lembrança. A Poder Executivo de Mariana fez-se representar pelo vice-prefeito Roque Camêllo, entusiasmado aexano.
O maestro Alexandre pôs a banda de música para tocar, acompanhando, em grande estilo, os aexanos de volta ao Seminário Maior. Lá aconteceu a foto na escadaria, desta vez parcialmente ocupada pelos andaimes utilizados na recuperação do painel frontal de azulejos. Nada que atrapalhasse a alegria de todos.
E isso foi muito bom!

Novamente os participantes do Encontro puderam apreciar o delicioso tempero da cozinheira Aparecida, desta vez colocado numa suculenta feijoada. Certamente não houve quem não lhe dedicasse entusiasmados elogios.
Enquanto isto a Banda de Música Santa Cecília, no Salão Apostólico, executava peças musicais de total agrado, a ponto de ter uma excelente platéia após o almoço.
A tarde já estava no meio quando os aexanos começaram a retornar às suas casas, certos de que valera a pena terem ido e participado do Encontro Anual de 2008 e, certamente, já fazendo planos e compromissos com os ex-colegas para o próximo ano.
E isso foi muito bom!

Foram simplesmente espetaculares as presenças no Encontro em Mariana, reforçadas neste ano pelos atenciosos convidados dos Seminários do Caraça e Coração Eucarístico de Belo Horizonte. No próximo ano, possivelmente, também estarão os do Enfrades.
O controle da diretoria registrou 158 pessoas – aexanos, familiares e convidados – sem contar os componentes da banda de música de Barão de Cocais.
E isso foi muito bom!

Os diretores da AEXAM – Helvécio, Marco Túlio e Vicente Gonçalves -, acompanhados de suas necessárias, laboriosas e entusiasmadas esposas – Rosana, Valéria e Gertrudes – e contando com a inestimável ajuda de Beatriz, Ruth e Aparecida, puderam, sem dúvida, organizar um Encontro pra fazer com que se queira voltar no ano que vem.
Isto, sim, foi realmente muito bom!

**********************************************************

PS: 1 – Não deixe de ver a arte do “nosso” poeta Pessoa em “Bastidores do Encontro”.
2 – Se alguém tiver mais fotos deste Encontro, por favor, envie-as para aparecerem aqui.

Deixe uma resposta