I – OPINIÕES SOBRE O XVIII ENCONTRO ANUAL EM MARIANA – 2009

Apesar de ter ouvido, por várias vezes, comentários sobre os Encontros de ex-seminaristas em Mariana, nunca tive o prazer de participar de um deles. Neste ano, contatado por Josué e Helvécio, lá estive com minha esposa Vânia, nos dias 11 e 12 de julho. Foram dois dias de muitas lembranças; de muitas saudades. Comecei a caminhada pela parte de cima, onde, durante os anos de 1965 e 1966, tive o meu dormitório e o meu gabinete de estudos. Vi que houve muitas modificações: as portas, agora, eram inteiriças e foram retiradas as portas de vai-e-vem. O acesso à piscina e à quadra de esportes, assim como ao campo de futebol, foi fechado. Senti falta do elevado, que nos levava a estas áreas. Senti falta da piscina, da quadra de esportes e do campo de futebol, bem como do galinheiro e da casa do Bené. Gostei imensamente da confraternização da noite de sábado, que foi precedida por palestras muito interessantes, em que aprendi muito sobre a vida do Padre Vidigal e sobre Mariana. No domingo, após a Missa solene, a banda de música de Barão de Cocais deu um show, pelas velhas ruas de Mariana e dentro do Seminário. Depois, foi a surpreendente e maravilhosa declamação de poesias de Castro Alves feita pelo Pessoinha, que terminou com um poema de sua lavra. A volta foi cheia de saudade e de muito aperto no coração para quem ficou 43 anos ausente do belo Seminário Maior São José. Agora, é esperar pelo XIX Encontro e agradecer aos organizadores deste XVIII, esperando que a Missa solene do ano que vem seja acompanhada pelas belas peças musicais em latim, como sugeriu o Josué. Um grande abraço agradecido do Antônio José LEAL.

Antônio José Leal é Procurador de Justiça em Belo Horizonte, onde reside.

*******************

Pediu-me o Helvécio Trindade impressões sobre o XVIII Encontro Anual da AEXAM. Ei-las abaixo. Antes, porém, me identifico: fiz o primeiro ano de Teologia e mais da metade do segundo, no Seminário Maior de Mariana, nos anos de 1965 e de 1966. Ex dictis: digo que gostei muito do Encontro. Recomendo-o aos que ainda dele não participaram. Voltei ao Seminário, depois de muitos anos de ausência, embora o enxergasse, com saúde, de longe, quando passava pela rodovia, que fica bem atrás dele, nas minhas andanças pelas Comarcas. Infelizmente, na oportunidade, não vi lá o campo de futebol, no qual, como goleiro do time principal, joguei ao lado de Joaquim Souto, de Édson Ildefonso, Emanuel Paulo, Calu, Paulo Roberto, Japão, Niltinho, Odilon, Landi, Claré, Adauir, Nilton Garcia, Irineu e muito outros. Quantas recordações! Lamentavelmente, deu lugar a ruas, a casas, a prédios. Em suma, virou bairro, cidade. Também, desapareceram a piscina e a quadra e não estavam mais presentes o Joaquim, Sr. Jarbas e o Bené, meus amigos e velhos empregados do Seminário. A despeito da tristeza, tive uma alegria imensa de rever muitos companheiros que estiveram comigo em 1965/1966 (Leal, Pacheco, Sebastião Paulo, José Ivanir, Irineu, Ovídio, Josué, este colega, também, na Magistratura). Fiquei conhecendo inúmeros outros de épocas diferentes, com os quais bati papos longos, descontraídos e divertidos. Matei, de fato, minha saudade. Haec olim meminisse juvabit. No ensejo, dou parabéns à Diretoria da AEXAM pela organização do Encontro, pelo entretenimento, pela saborosa comida caseira e pelos doces deliciosos. Agradeço, igualmente, ao Pe. Lauro Sérgio Versiani Barbosa, Reitor do Seminário Maior de Mariana, pela receptividade, acolhida e hospitalidade. Retornarei, se Deus quiser. José Nassif Antunes.

José Nassif Antunes é Juiz do TRT – 3a. Região em Belo Horizonte, onde reside.

Deixe uma resposta